sexta-feira, 9 de abril de 2010

A chuva

Estavam lá, num parque de diversões. Juntos enfrentavam as filas para irem aos brinquedos.
Era primavera, o tempo estava bom, mas nem sempre ele pode ser amigo. E assim, viram as nuvens cobrindo um belo sol.
Começou a trovejar, e depois, os fortes pingos também vieram. A chuva ficava mais intensa e os brinquedos paravam pouco a pouco. Eles ainda estavam na fila, enquanto as pessoas corriam para não molhar suas roupas e seus cabelos inútil e cuidadosamente arrumados.
Eles não se importavam muito com isso, saíram da fila com calma. Queriam apenas um ao outro. Ela, com a blusa listrada encharcada, e os caracóis dos cabelos pingando, só queria estar ali, com ele.
E ele, não se importava em vê-la despida de qualquer vaidade, não gostava de coisas "montadas", que em sua concepção eram superficiais demais.
Caminharam pensando desta forma, de mãos dadas, pensando em muitas coisas, ou em nada ao mesmo tempo, até chegarem a um local coberto para esperar a chuva passar, e retornarem à loucura das filas.
Após a tempestade, voltaram ao ponto que haviam parado... Filas, brinquedos, adrenalina, seus sentimentos recíprocos.
O celular tocou, ele atendeu, trocou umas palavras.
Depois de ter desligado o celular, fitou-a no mais profundo que os olhos negros queriam esconder. A expressão dela havia mudado, de alguma forma, amuou-se momentaneamente.
Ocorreu um abraço, ela segurou as lágrimas e sorriu novamente, achando que havia ocultado dele o que sentiu. Ele, ainda que soubesse, não iria forçá-la a dizer.
Ela, ainda que com uma ponta de dor, naquele momento, só queria sentir o abraço e retribuir de maneira que ele soubesse que tudo o que ela era e queria precisava dele, somente dele.

Escrito em 24/03/2010.

Um comentário:

Jéssica Félix disse...

Sabe oq eu mais gosto dos seus textos?Além de simples,eles mostram situações da nossa vida..e é realmente grandioso encontrar um alguém q nos acha linda,mesmo descabelada de manhã com remela nos olhos ou nua chuvinha que estragaria grandes produções.